Finados: A morte é o fim da nossa peregrinação terrestre.

Compartilhar

 


O mês de novembro é dedicado à memória daqueles que viveram entre nós, como peregrinos caminhantes que, passo a passo, se dirigem à eternidade, e hoje já contemplam a eternidade, onde todos nos encontraremos na pátria do Senhor e sua glória contemplaremos. Nossa peregrinação é completada quando nosso Pai nos chama desta vida terrena à vida eterna em Cristo Ressuscitado. A vida de todos os nossos falecidos, dos fiéis defuntos, não foi roubada ou tirada, mas sim transformada naquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida: Jesus Cristo.

A fé e a esperança são o “Norte” que nos direciona e nos conduz, jamais com desespero ou angústia, ao encontro com nosso Pai. Com nossa partida dessa vida, participamos com Cristo, nossa páscoa, nossa ressurreição e nossa vida do reino sem fim.  A fé nos ajuda como uma luz potente, que nos abre os olhos para além do que, humanamente, seríamos capazes de imaginar: o mistério do repouso em Deus. Como crentes naquele que é o Senhor da Vida e da Morte, contemplaremos e experimentaremos que a vida é mais forte do que a morte. Por isso a fé é importante, pois a morte é vencida pela vida em Cristo.

Lembrar dos nossos entes queridos que dormiram no Senhor é muito importante e nos faz lembrar sempre que essa vida é passageira. É por isso que vamos aos cemitérios, lugar onde estão guardados os corpos que serviram à vida, até a chegada da morte, pois desperta em nós a fé na ressurreição e nos faz pensar na nossa partida. É um confronto com nós mesmos. Falar sobre “Dia de Finados”, ou dos falecidos, significa tocar no sentimento que atinge a todas as pessoas.

Como vivemos e nos preparamos para morrer? Como vivemos nosso dia a dia? É verdade que um dia seremos nós que nos apresentaremos diante da morte. Será o dia em que deixaremos esse mundo e nos uniremos aos nossos irmãos que já partiram. Nossa peregrinação deve ser vivida na presença de Deus como se fosse hoje fosse o único e o último dia de nossa vida. Vivendo assim, estaremos como sentinelas, prontos para o grande encontro que nos espera e seremos conduzidos à eternidade

Vivamos com fé e esperança naquele que é o autor da vida e da morte: Deus. Passo a passo, por fé prossigamos rumo a pátria celeste. Que a Santíssima Virgem Maria e o seu esposo, São José, padroeiro da boa morte, intercedam a Deus, agora e na hora do nosso encontro com a morte. Que as santas e benditas almas dos fiéis defuntos, pela misericórdia e bondade de Deus, descansem na paz do Pai Eterno. Assim seja.


Padre Everton Vieira da Silva


Compartilhar
Voltar
Ó, Maria, bem-aventurada, rogai por nós que recorremos a vós.
© 2021 Rosarium Virginis Mariae. Uma iniciativa do Pe. Everton Vieira.
Todo o conteúdo do site pode ser reproduzido, desde que citada a fonte.